Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Amor procura-se!

(foto sacada da net)

 

Numa das minhas consultas ao Daily Mail – sim, continuo a não conseguir aceder ao Correio da Manhã online e recuso-me a pagar a versão impressa – li uma notícia que me deixou bastante pensativa.

 

Relata aquele pasquim que uma senhora inglesa, avó de 4 netos, apaixonou-se e casou com um jovem de 25 anos, oriundo da Gâmbia. Resumidamente, conheceu-o naquele país quando estava de férias e não percebendo que o gajo apenas queria o seu dinheiro e a possibilidade de obter um visto de residência no Reino Unido, deixou-se envolver, tendo, inclusivé voltado ao país natal do gajo para casar com ele (porque, milagre, não o deixaram entrar no Reino Unido). Claro que passado um dia, ela percebeu que tinha cometido um erro, tendo regressado ao Reino Unido sozinha, sã e salva.

 

Pois ao contrário do que possam pensar, isto não tem graça nenhuma. Não tenho vontade de rir, nem me apetece achincalhar a senhora por se ter deixado enganar.

Acho, pelo contrário, que deve ser bastante duro apercebermo-nos do envelhecimento do nosso corpo – principalmente quando ainda nos sentimos tão ágeis mentalmente – e terrível a solidão que tanta gente de idade sente. Chamemos os bois pelos nomes: ser velha e estar só deve ser desesperante. Vivo perto de um exemplo destes e não tenho a mínima dúvida que essa pessoa que eu conheço, embarcaria numa “aventura” igual e acreditaria na mesma cantiga de bandido. É um perigo, é uma pena e é tremendamente injusto.

Enfim, vidas!

publicado por Lourencinha às 12:30

link do post | dar sentença | favorito
6 sentenças:
De EstranhoAmor a 29 de Outubro de 2010 às 15:41
Sim! De facto não é motivo para rir e sim para lamentar. Mas, lamentar o quê?
A irracionalidade da grande maioria dessas pessoas de idade avançada que não se compenentram e não querem aceitar as leis naturais da vida. Desesperam-se e mentem às consciências que lhes mostram a verdade da existência, e tentam fugas estúpidas não se dando conta do ridículo em que incorrem.
Agarram-se desesperados à vida, por vezes com prejuízo de quem e por amor, fazem sabe-se lá que sacrifícios. Tornam-se egoístas e prepotentes infernizando as vidas dos filhos, sem minimamente se preocuparem com o trabalho que dão.
Que os filhos lutem com dificuldades de toda a ordem, que, por imperativos da vida contemporânea nem tempo tenham para as crianças, que matem a cabeça a tentar resolver esta ou aquela despesa, para eles não interessa. Só eles contam, só eles têm valor, só eles valem.
Agarram-se desesperados à vida mercê de montes de medicação, dão trabalho mas não importa. querem é viver.
E para quê? Pergunto eu.
Nascemos, vivemos, sofremos, trabalhamos e damos vida para que outros façam o mesmo. Depois envelhecemos e deveríamos aceitar que é um processo normal esse caminho até à morte, e não mentirmos e agarrarmos-nos à existência como se fôssemos eternos.
Saber isso é uma virtude, que, obviamente, essa senhora não conhece, nem a outra senhora sua conhecida, nem a quase totalidade dos anciãos.
Um bom fim-de-semana
De EstranhoAmor a 29 de Outubro de 2010 às 15:52
Ainda mais um comentário.
Diz que é tremendamente injusto.
Injusto...porquê?
Eu não acho. Acho que é o perfeitamente normal.
Injusto é morrer um jovem que tem vida, ambições, expectativas e sobretudo, direito à existência.
Injusto é ver morrer uma criança. Injusto é uma criança maltratada, uma mãe sem leite para lhe dar, um pai sem trabalho para o criar, ou uns pais que não ganham o suficiente para lhe darem aquilo que por direito lhe pertence. Isso é que é injusto.
Envelhecer e morrer é a maior e mais completa justiça da Criação.
cumprimentos
De Lourencinha a 29 de Outubro de 2010 às 16:18
Acho a solidão muitas vezes injusta... é que nem sempre os velhos são trastes e pesos para os outros.
Cumps
De EstranhoAmor a 29 de Outubro de 2010 às 17:34
Sim, de facto.
Por isso não os incluí todos e referi a grande maioria, apenas.
Só é triste quem se entrega à tristeza, só é solitário quem não se conforma, só é deprimente quem não aceita.
Talvez eu lhe pareça muito rude, desapiedado até, mas não. Sou apenas verdadeiro.
Nasci e cresci na Natureza e depois de grandinho voltei para lá. Conheci a vida e a lei da mesma da melhor e mais sincera maneira que alguém pode conhecer. No meio da imensidão africana.
E sou velho. Tenho setenta anos, sou viúvo e vivo sozinho. Tenho duas filhas, licenciadas e vivem bem, mas não lhes infernizo a vida.
Não sinto saudade nem tristeza na minha solidão, porque boa ou má, já vivi a minha vida.
E penso assim. Acho que já vivi o suficiente e agora os outros que à vivam pois a ela têm direito. Acho que já vivi até demais. A partir de aqui não sou credor de nada e sim devedor de tudo que Deus me proporcionou.

De Lourencinha a 29 de Outubro de 2010 às 19:11
É de louvar a sua postura perante a vida, pois como deve saber, há muitos que não a têm... apenas me custa que se aproveitem da fragilidade alheia... é só isso.
Bom fim-de-semana
De EstranhoAmor a 29 de Outubro de 2010 às 20:20
Lourencinha. Eu não quero teimar consigo, acho que a compreendo pois é nova e generosa, e fica-lhe muito bem esses sentimentos. Mas apenas fazer-me compreender.
Essa senhora que refere, para mim, ninguém se aproveitou da vulnerabilidade dela, porque, já deve ter ouvido, e acredite que é verdade, idade é experiência.
O que se passou foi que; ela fechou a consciência à verdade e procurou, enganado-se a si mesma, recuar num tempo que já não lhe pertencia.
Posso explicar de outra maneira.
Ninguém é mais fácil de convencer do que aquele que quer ser convencido.
Acho que me compreendeu.
Reitero que responder-lhe não é uma teimosia minha, mas apenas fazer-me compreender, e acho que a menina com certeza ter-me-á compreendido.
É uma menina boa e generosa e acredite que a compreendo perfeitamente.
Desejo-lhe toda a felicidade deste mundo, que com certeza, Deus não deixará de ver.
Um bom fim-de-semana

dar sentença

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. ...

. ...

. Da casmurrice

. Free Hugs in Lisbon

. Da ZON

. Querem ver?

. Por acaso,

. Pois...

. Amazing

. Olá, voltei!

.arquivos

. Junho 2014

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

.tags

. todas as tags

.links

.Espreitadelas

Powered by website analytics technology.

.Quem está cá

online

.Quem me linka

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Todas as fotos tiradas da net, estão devidamente identificadas (desculpem, mas nem sempre consigo perceber quem é o respectivo fotógrafo).

Os textos que não forem da minha autoria, também serão devidamente identificados.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
blogs SAPO

.subscrever feeds